Fone: 54 8409 2843

Dicas para 2014

24, fevereiro, 2014

metas v02

Pode parecer tarde para falarmos em iniciar bem 2014 quando já temos praticamente 02 meses do ano passados. Mas existe aquele velho ditado que diz que nunca é tarde para começar.

Temos também o nosso inconsciente diz que o ano só começa depois do carnaval, então ainda podemos falar em iniciar bem o ano que estamos vivendo.

Não queremos esgotar um assunto que pode se tornar inesgotável já que a partir do ponto de vista de cada indivíduo podem aparecer inúmeros aspectos importantes além dos citados a seguir.

Queremos sim ajudar com algumas pinceladas e fazer as pessoas refletirem sobre aspectos que consideramos podem auxiliar em muito uma excelente preparação para o ano.

onde queremos chegar

 1 – Defina metas

A definição de metas é fundamental para o bom andamento dos trabalhos durante o ano. Claro que o ideal é você sempre definir as suas metas ao final do ano que passou, neste caso 2013.
Para muitos a definição de metas é um processo exaustivo, pois não valorizam o planejamento e sim o trabalho ainda “braçal” da linha de produção.
Meta é parte de um caminho para se chegar a um objetivo.
É um marco, um limite, um desafio, algo que se pode realizar, uma etapa a ser atingida dentro de um objetivo, no seu topo ou em parte.
Portanto extremamente necessária para alcançarmos nossos objetivos.
Aproveitando esta idéia podemos lembrar um ditado há muito usado. “Se você não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve”.
Defina metas e você vai se surpreender onde você e sua equipe vão chegar.
As metas devem ser escritas e divulgadas a todos que compartilham ou que se envolvem alguma forma com este objetivo.
Deixo uma frase de um grande guru brasileiro.
“Liderar é bater metas, com o seu time e da maneira correta”.
Vicente Falconi
 

2 – Monte a sua equipe                                                                               

Se você aspira fazer um grande trabalho ou projeto monte uma grande equipe.
É fato que o trabalho das equipes é muito superior à soma individual das capacidades das pessoas.
Sem profissionais à altura o ano se transformará numa interminável angústia na busca de resultados que nunca chegam.
Conheço inúmeros profissionais que não se empenham em desenvolver suas equipes com o medo de criarem substitutos para si mesmo. Assim “garantem” o seu emprego.
A verdade é que devemos pensar justamente no contrário. Precisamos desenvolver e desenvolver cada vez mais nossas equipes, deixando prontos substitutos. Ou você também não almeja uma mudança de cargo no futuro?
 

3 – Planos de ação 

Definiu suas metas ?
Agora é preciso partir para outra etapa.
Descreva os seus planos de ação para atingir cada meta.
O que você vai fazer? Como? Quando? Onde? Qual o custo das ações?
Um dos grande receios das pessoas em escrever os seus planos de ação é que tudo estará documentado e todos serão COBRADOS.
Fazer um plano de ação é igual a fazer um compromisso. E um compromisso com toda a organização.
Isto causa medo e uma sensação de estar sendo vigiado.
Nesta etapa é preciso que todos tenham uma maturidade suficiente pois as cobranças serão constantes em todos os níveis hierárquicos.
Por outro lado as conquistas se tornarão mais frequentes pois, com todos sabendo o que deve ser feito, a probabilidade de sucesso será maior.
 

4 – Monitore os resultados                                               

Para que a definição de metas e planos de ação seja eficaz é preciso um acompanhamento dos indicadores que refletem o cumprimento e atendimento das metas definidas.
A forma mais simples de acompanhamento é a definição de indicadores “coletados” por uma área ou colaboradores independentes. Assim evitamos interferências nos dados coletados distorcendo totalmente os monitoramentos.
Cada meta definida deve ter pelo menos 01 indicador confiável e que reflita de forma idônea os resultados alcançados.
Estes indicadores também servirão para repassar à sua equipe um feedback do trabalho que está sendo executado, assim como uma pré-análise para uma correção de rumo durante a execução das ações propostas.
 

5 – Treinar, treinar, treinar, ….

Primeiro preciso deixar uma pergunta no ar.
 
Para a sua organização os treinamentos são considerados custo ou investimento?
 
Se a resposta for custo, pare por aqui mesmo.
Para quem respondeu investimento, parabéns. Estão pensando no futuro e comprometidos com as metas e as pessoas envolvidas.
Os colaboradores não são autodidatas por natureza. Precisam de orientações constantes.
Talvez a maior dificuldade na questão dos treinamentos é mostrar a alta direção o retorno desta ferramenta. É preciso criar uma cultura onde o colaborador após participar de treinamentos implante na prática o conhecimento recebido e com isto crie retorno financeiro à organização.
Procure formas de mensurar este retorno e não deixe esta importante ferramenta cair no esquecimento.
 
 
 6 – Delegue tarefas
A delegação de tarefas é uma verdadeira arte que aprendemos ao longo da carreira. E mais, a única forma de aprender é colocar em prática. Somente a teoria não fará de você um bom líder que saiba delegar tarefas importantes à sua equipe.
Além disto delegar não é somente repassar uma tarefa para outro executar.
É também acompanhar e orientar até que todos sintam segurança nesta ferramenta.
 

7 – Dê, feedback para toda a equipe

Todas as ações e atitudes comportamentais da equipe precisam de um feedback rápido. Desta forma estaremos criando uma forma de comunicação entre líderes, gestores e demais colaboradores de duas vias. Todos devem ter espaço para colocar suas opiniões e críticas.
É um processo que exige maturidade de todos para evitar que se torne uma ferramenta de retaliação ou angústia.
 
 

 8 – Exercite a sua mente e o seu corpo

Não é só de trabalho que vivemos. Precisamos ter nossas “válvulas de escape” para os momentos críticos do trabalho.
Procure exercícios para a e mente e o corpo, seja uma academia, andar de bicicleta, sair com os amigos,….A única forma de cuidarmos bem da nossa vida e das pessoas que nos rodeiam, e nisto incluímos o nosso ambiente de trabalho, é cuidarmos primeiramente de nós mesmos.
 

Espero com estas dicas ajudar um pouco no seu desenvolvimento como pessoa e profissional.

Para terminar deixo uma frase de Mário Cortella.
“Gente nasce não pronto e vai se fazendo”.

 Carlos A. Schlittler